Hipster, ser ou não ser? Eis a questão.

Galera linda e ousada, como estão vocês ??

No post de hoje resolvi fazer algo diferente e comentar um pouco sobre  essa nova expressão que está na boca do povo: O Hipster. Se não ouviu esse termo ainda, com certeza vai ouvir ou se deparar com alguém que que se auto intitule um.

E se você está se perguntando o que raios é um Hipster, aqui vão alguns conceitos que os define:

Hipsters são os amigos que zombam de você quando você começa a gostar de Coldplay. Eles são as pessoas que vestem camisetas de tela de seda com citações de filmes dos quais você nunca ouviu falar e são os únicos na América que ainda acham que Pabst Blue Ribbon é uma boa cerveja. Eles usam chapéus de cowboys e boinas e acham que Kanye West roubou seus óculos de sol. Tudo a respeito deles é construído exatamente de forma a fazer parecer que eles simplesmente não se importam (Time, julho de 2009)

O Manual do Hipster descreve-os como pessoas jovens com “cortes de cabelo mop-top, carregando carteiras retrô, falando em seus celulares, fumando cigarros europeus, desfilando em sapatos de plataforma e com uma biografia de Che Guevara saindo de suas bolsas”

Básicamente, um Hipster é alguém que despreza todas as tendências promovidas pela mídia, aderindo ao um estilo alternativo. Eles não seguem a moda, veem filmes independentes e escutam bandas indie como se não houvesse amanhã. Você nunca vai ver um Hipster cantando um Hit do momento, provavelmente se você comentar com ele sobre isso irá ouvir um grande e cansativo discurso de como a mídia manipula, promove modinhas triviais e blablablá

Não, eu não tenho nenhum desprezo pelo mundo Hipster. Tudo bem, gostar de bandas alternativas, sair um pouco fora do sistema e outras coisas que a galera faça para se sentir revolucionário, eu também já fiz/faço isso. Mas ultimamente essa movimento tomou uma forma completamente diferente a sua proposta inicial e perdeu totalmente o significado.

Por exemplo: Hipsters, indignados com as modinhas da sociedade, começam a pagar de cult e mostrar toda a sua indgnação perante a sociedade consumista. Outra galera que não entende nada do assunto, começa a achar isso “maneiro” e decide aderir fazendo com que, pouco a pouco, o que era para ser alternativo, tornou-se mais uma moda sem sentido.

No mínimo controverso, para não dizer hipócrita.

Tudo bem que tem modinhas que irritam e não tem nada a ver (Harlem Shake, estou falando com você), mas por favor, parece que de uns tempos para cá todo mundo resolveu odiar o natal, o BBB,o mundo, a vida e todo o universo só porque alguém disse que não gostava.

Minhas opinião sobre isso: Galera, vamos com calma !!!

Se você quer odiar o BBB,o universo a vida e tudo mais, odeie, mas porque VOCÊ  realmente  odeia e não porque algum dia alguém disse que o mundo deveria detestar e você foi lá e começou a odiar de graça.

Eu não gosto de Big Brother, já assisti muito mas perdeu a graça para mim, se isso me faz uma pessoa melhor e mais evoluída?Não! Me torna apenas uma pessoa que não gosta de dar uma espiadinha. Simples assim.

Outra coisa que você percebe muito, principalmente  quando  tem um fandom é o eterno desprezo que as fangirls sentem pelas posers.

Tenho uma opinião dúbia sobre esse assunto porque acredito que o motivo desse movimento anti-qualquer-pessoas-que-não-conheça-a -cor-das-cuecas-que-o-idolo-usa, seja porque o verdadeiro significado desse termo se perdeu.

Para quem desconhece, esse é o significado do termo:

“Poser é um termo pejorativo, usado para descrever “uma pessoa que finge ser algo que ela não é”, copiando vestimentas, vocabulário e/ou maneirismos de um grupo ou subcultura, geralmente para conseguir aceitação dentro de um grupo ou por popularidade em meio a vários outros grupos, mas que não compartilha ou não entende os valores ou a filosofia da subcultura.”Os chamados “posers” costumam passar a (ou fingir) gostar de certos artistas, bandas ou gêneros musicais, no momento em que estes passam a ser popularmente conhecidos e esquecê-los quando estes deixam de se-lo.

Devido ao valor da expressão, as pessoas acabam confundindo poser autênticos com iniciantes e colocando todo mundo no mesmo saco, só que não é bem assim.

Existem as pessoas, que dizem gostar de certas bandas porque ficaram famosas no mercado ou dizem amar determinado cantor ou livro só porque começou a fazer sucesso,só que assim que você começa a conversar sobre o assunto percebe que ela não conhece nada sobre e continua afirmando que ama incondicionalmente. Isso, amigos, é um poser.

Existem também, as pessoas que simplesmente começaram a gostar de determinado assunto porque descobriram ele recentemente. Elas não  ficam se auto denominando os últimos fãs absolutos do universo mas realmente admiram o músico, autor, pintor e embora ainda não o conheçam o assunto mais profundamente, buscam por informações sobre eles e procuram se interessar por assuntos relacionados a esse universo que começaram a gostar. Há também quem escuta determinadas bandas e lê determinados livros mas  gosta de  não se considera fã ou nada do tipo.

Eu por exemplo, adoro as músicas do Arctic Monkeys  mas se perguntarem, não sei nem a terça parte de informações sobre eles comparado ao que sei sobre Mcfly, Beatles ou K-pop. Não saber a marca do barbeador que o Alex usa ou se ele dorme de meias não me faz ser poser e não impede de continuar gostando e admirando o trabalho deles.

Afinal, ninguém é obrigado a saber de tudo.

O que quero dizer com essa blablázice toda é:Não importa se for uma modinha que milhões de pessoas gostam ou algo que só 4 pessoas gostam. Se for o livro mais comentado, a música mais ouvida ou menos ouvida.Tanto faz! Gostem das coisas porque vocês gostam, porque faz bem para a vida de vocês e não porque está na moda ou alguém disse que deveriam gostar o desgostar.

Postar foto no Instagram  tirada pelo seu Iphone, com a legenda de uma música de uma banda indie desconhecida, vestido igual a um mendigo só para demonstrar o seu  desprezo eterno sobre a moda  e o consumismo da sociedade. Faz você parecer rídiculo e não legal.

A moda muda toda hora, vem, passa e daqui a pouco Hipster mesmo é quem não é, então todo esse texto virou hipocrisia.

E vocês? Qual é a opinião sobre esse assunto? Gostaram? Detestaram? Me acharam uma Hipster enrustida? Comentem.

Imagens: Página do Facebook, Hipster da Depressão.

Fontes: Blog Big Chrunch (visitem, é muito bom) : http://milleonaria.wordpress.com/ , Wikipédia;

Beijos da Garota da Vitrine.

Anúncios

Wishlist : Vestidos

Oi oi oi gente bonita!! Como estão vocês ?

Eu sou viciada em um site chamado Fashiolista,acho que qualquer garota que goste de moda deve conhecer esse site. E o motivo dele ser tão bom é que ele possui o maior acervo de roupas,calçados e acessórios do mundo.São mais de 1.000.000 de peças espalhadas pelo site ,é quase como se você possuísse seu próprio closet virtual.

Nesse site , você cria seu perfil pessoal.A partir dai você poderá criar sua própria lista e organizá-las da maneira que quiser ( lista de vestidos, bolsas, etc , etc.).Poderá seguir perfis de pessoas que te inspirem ou que combinem com seu estilo.Terá acesso as ultimas tendencias da moda e  lançamentos.E com o botão-coração  poderá adicionar seus achados ,diretamente de qualquer site da internet.

São milhões de usuários em todo o mundo: Nova York , Londres,Rio Grande do Sul até mesmo Tóquio e Seul.

Então se você ainda não possuí uma conta,tá esperando o que ??

Mas voltando ao assunto,toda vez que eu entro nesse site , meu olhinhos ficam brilhando com tanta coisa linda.Sendo assim,decidi fazer minha wishlist , das peças que eu mais gostei .Vou dividi-las em categorias,para que o post não fique muito confuso e gigantesco.No post de hoje mostrarei os vestidos mais desejados pela minha humilde pessoa. Espero que gostem.

Dia-a-dia

EstampadosTomara que caia Azuis Azuis-Marinho PeplumVintagePretinho BásicoRockOmbro sóManga longaTransparênciaMulletsLongos

Então , gostaram ???Alguém quer um desses também?

Me sigam lá no Fashion Listas: http://www.fashiolista.com/style/ninafreitas9/

Grande beijo da Garota da vitrine.

Pin-ups…Os anos 50 estão de volta + tutoriais

Oi oi galera linda, tudo bem com vocês??Espero que sim.

Hoje vamos falar sobre um estilo que tem andado muito em alta nos últimos tempos e do qual eu sou extremamente fã : O Pin-up Style.Mas antes de tudo,que tal voltarmos alguns aninhos para desvendarmos  a origem desse termo que tem andado na boca da mulherada e  conquistado inúmeras adeptas pelo mundo a fora ??

O que são Pin-ups ?

O termo Pin-up  significa “pendurado”.Isso porque era comum,soldados enviados para a guerra terem fotos de mulheres bonitas em seus alojamentos. Elas eram modelos e atrizes que tinham suas fotos  estampadas em revistas nas décadas de 40 e 50 e mexiam com o imaginário popular ,devido a sua sensualidade romântica.Uma das marcas registradas de uma Pin-Up, é a Cereja o batom bem forte (geralmente vermelho) e o delineador .

Mais conhecidas:

Algumas das  mais famosas da década de 40 e 50 eram Bette Peige , também conhecida como ” Rainha das Pin-ups” cuja marca registrada eram os cabelos pretos lustrosos com franja, Betty Grable cusa  foto em traje de banho, olhando para trás por sobre o ombro direito, transformou-a na maior das pin-ups durante a II Guerra Mundial.Essa imagem foi posteriormente incluída numa lista compilada pela revista LIFE,chamada, As 100 Fotos que Mudaram o Mundo.Alem delas ,figuram também celebridades como Sophia Loren ,Marlyn Monroe e a sexy simbol francesa Brigitte Bardot.

cats

Já no século 21 , uma das representantes mais conhecidas do estilo, são Dita Von Teese ( Diva perfeita !) , Katy Perry ,Christina Aguilera e Amy Winehouse.

cats1

Acessórios mais usados :

Corpetes:

roupas

shots

saiasóculosbolsasvestidos sapatosLangeries

Tutoriais , cabelo e maquiagem:

Fontes: http://www.superinteressante.com

http://www.fashiolista.com

Bom , espero que tenham gostado. Não esqueçam de comentar.

Grande beijo da Garota da Vitrine.

Grafites de vitrine – Londres

Passeando pelo blog da editora intrínseca , me deparei com uma postagem realmente maravilhosa, sobre Street Art , que selecionava os melhores grafites em exposição nas  ruas de Londres. E como Londres e arte , são duas coisas que sozinhas já são perfeitas  , mas juntas , são melhores ainda. Decidi repassar essa postagem aqui no blog, com uma seleção de grafites de tirar o fôlego de qualquer um e de brinde,ainda dar aquele gostinho irreverente , que só Londres possui.

Stik :

Pablo Delgado minimalist art:


ROA:

Broken Fingaz Crew:


C215:

Banksy:

É isso galera ! Acho Street Art , uma das minhas formas favoritas de expressão artística , principalmente as do Banksy ( que é meu favorito , sem dúvidas ) ,o senso crítico e humor ácido dele , me deixam boba.O cara é um gênio!

Para quem quiser saber mais sobre os Street art e também quiser conhecer um pouco mais dos artistas,recomendo o site: Street Art London.Lá tem inúmeras informações sobre o assunto , além de eventos , principais trabalhos dos artistas e notícias relacionadas a arte .A única desvantagem para alguns  é que o site é totalmente em inglês , então quem não se garante muito na língua pode acabar não aproveitando muito as notícias e etc.Mas ainda sim , eu recomendo fazer um esforcinho e visitar , porque vale a pena ,sim!

E quem quiser visitar o blog da intrínseca , da onde essa postagem foi inspirada é só clicar aqui.

Bom , espero que tenham gostado.Grande beijos da Garota da Vitrine e até a próxima .

Apresentando profissões:Desenho Industrial

Oi oi , galera.

Bom , estou aqui para falar que depois de muito bater cabeça , analisar prós e contras e etc e tal,finalmente eu decidi qual profissão seguir (Aeeeee , palmas para mim , só que não).Então decidi passar aqui e compartilhar um pouquinho sobre o curso que eu escolhi,caso alguém ainda não tenha se decidido  e por um acaso venha a  se interessar , assim como eu.

Desenho industrial:

Primeiro de tudo , vamos esclarecer uma dúvida frequente que eu tinha até um tempo atrás.

Desenho Industrial e Design é a mesma coisa?

Em linhas gerais, o curso de Design Gráfico dirige-se para a melhoria de qualidade da comunicação visual, permitindo ao profissional atuar em áreas como editoração de livros e revistas, criação de logotipos, desenho de sites, criação de vinhetas para televisão. Algumas matérias que dão sustentação a estas práticas são fundamentos da linguagem visual, como fotografia, cinema, tipografia e software de editoração.

Alguns cursos denominados Design Industrial também oferecem opções de formação em Design Gráfico ou Design de Produto. Se a ênfase do curso for em Design de Produto, ele vai qualificar o profissional para projetar embalagens, peças e equipamentos industrias, utensílios diversos e móveis. Neste caso, algumas matérias que compõem o curso são ergonomia, confecção de modelos, desenho de produção, materiais e processo industriais.

Um pouco sobre Desenho Industrial :

São as técnicas usadas na criação e no desenvolvimento de projetos gráficos e de comunicação visual e na concepção artística de peças e objetos.Na área gráfica, cria logotipos e desenvolve o visual de jornais, revistas, livros, panfletos, anúncios e outdoors. Escolhe as letras para os textos, define o tamanho das colunas de uma página impressa, seleciona e padroniza cores e ilustrações e projeta embalagens.Atuando na área industrial, o designer cria objetos, segundo critérios de funcionalidade e estética. Também pesquisa novos materiais e tecnologias de fabricação, procurando diminuir os custos de produção.Pode projetar móveis, eletrodomésticos, acessórios, joias, peças de vestuário, máquinas ou equipamentos industriais.

Mercado de Trabalho :

O mercado está aquecido tanto para os bacharéis como para os tecnólogos.Seja nas grandes indústrias, seja nas empresas familiares, a necessidade de inovação do mercado tornou o designer uma peça-chave nas empresas, o que faz aumentar a procura pelo profissional. Além disso, essa profissão permite atuação em áreas muito diversas.. Departamentos de marketing e criação de grandes empresas, editoras e escritórios de design são os maiores empregadores do profissional.Na área gráfica, a demanda também é muito boa, já que o país tem cerca de 20 mil gráficas.O profissional é bastante requisitado no Sudeste, que tem um importante parque gráfico e conta com grande número de multinacionais dos ramos alimentício e têxtil. Na capital paulista, também estão os principais escritórios de design do país. Na Região Sul, os postos de trabalho se expandem a cada ano, por causa do grande parque gráfico e do desenvolvimento do setor industrial, principalmente nos setores têxteis, de calçados e utilidades domésticas.

Salário inicial: R$ 2.000,00

Curso:

O currículo do bacharelado é generalista e possui disciplinas que transitam tanto na área gráfica como na de produto. Assim, o aluno estuda desenho técnico, informática, ergonomia, protótipos, ilustração, modelagem 3D, fotografia, marketing e design, estética, processos gráficos e design gráfico. Alguns cursos possuem direcionamento para uma área, que pode ser design de produto ou design gráfico. Nesse caso, as disciplinas mudam de acordo com a ênfase. Em design gráfico, por exemplo, estudam-se tipografia, computação gráfica, fotografia, identidade visual, entre outras disciplinas. Já em design de produto, o curso possui matérias como projeto de produto, embalagens, materiais industriais, modelagem 3D etc.

O que você pode fazer

Desenho industrial

Desenhar automóveis, máquinas e equipamentos industriais.

Design digital

Projetar e desenvolver interfaces para mídias digitais, como páginas para a internet, empregando ferramentas de multimídia, como computação gráfica, sonorização e animação.

Design de embalagens

Projetar embalagens adequadas aos produtos, considerando o apelo visual. Design gráfico Criar e reformular o aspecto visual e gráfico de publicações impressas, como jornais, revistas, livros e folhetos.

Programação visual

Criar logotipos e marcas para produtos e serviços. produzir vinhetas para a TV e peças de publicidade.

Projeto de produto

Desenhar objetos, móveis e utensílios para produção em escala industrial, definindo aspectos estéticos e funcionais. Pesquisar e desenvolver materiais e tecnologias de fabricação.

Fontes:Guia do Estudante