Oscar: O que eu vi e quais meus favoritos.

Oi, oi gente! Como vão vocês?

Desculpa a falta de posts esses dias mas, carnaval + começo das aulas + maratona do Oscar, consumiram todo o meu tempo e mesmo assim, ainda não consegui por todos os filmes em dias. Então, está é um pequeno resumo dos que vi e quais são as minhas apostas para a premiação de amanhã.

Melhor Filme

O Grande Hotel Budapeste:

large (63)

Esse filme foi uma surpresa tremenda e extremamente prazerosa para mim, pois de todos os indicados a esta categoria este era o único que me deixava totalmente no escuro sobre o que esperar já que meus conhecimentos e familiaridade com os trabalhos do Wes Anderson começavam, terminavam e se resumiam a apenas ter assistido a algumas cenas de Moorise Kingdom, que até hoje, vergonhosamente, não assisti completo. Como um bônus, para aumentar o meu receio quanto a este filme, também havia muitas amigas que já acompanhavam bastante o trabalho do diretor e diziam não estarem muito empolgadas com ele por inúmeros motivos. Porém, apesar de tudo, minha curiosidade foi maior e finalmente decidi assisti ao dito cujo e após o término, quando os créditos rolaram na tela,  só conseguia pensar uma coisa: “Que filme lindo! Preciso ver novamente.”

O Grande Hotel Budapeste, é uma obra prima e um deleite para os olhos. Através da fotografia simétrica, da paleta de cores fortes, roteiro leve e estrutura minimalista do cenário, Wes Anderson, transborda o telespectador para uma dimensão totalmente nova e fantástica que nos faz sonhar e encantar com tamanho zelo e preocupação investidos em cada cena e detalhe dos 100 minutos de filme. Com toda certeza, esse é um dos meus filmes favoritos a categoria e espero realmente que ganhe ( embora seja díficil prever as escolhas da academia) a categoria principal.

Grande Hotel Budapeste é o filme mais indicado e  também concorre as categorias de:

Melhor Diretor – Wes Anderson

Melhor Roteiro Original

Melhor Fotografia

Melhor Edição

Melhor Trilha Sonora Original 

Melhor Figurino 

Melhor Maquiagem 

Melhor Design de Produção 

Ele também foi o vencedor da noite no BAFTA ( Oscar Britânico) levando o total 5 troféus (categorias vencedoras estarão em negrito na lista acima) 

O Jogo da Imitação:

O Jogo da Imitação é meu segundo favorito e embora seja na categoria de melhor ator que eu esteja torcendo mais por ele, afinal, não se pode ser imparcial quando seu ator favorito está concorrendo ao seu primeiro Oscar, não há como negar a qualidade do longa. O filme que tem seu roteiro adaptado de um livro homônimo, conta a história biográfica de Alan Turing, um matemático, lógico, criptoanalista e cientista da computação britânico que durante a guerra trabalhou em um centro de inteligência especializado em quebra de códigos alemães decifrando a Máquina Enigma.Turing era homosexual ( o que era considerado ilegal no Reino Unido) e foi condenado a uma dura pena aplicada na década após a guerra (52) que consistia em injeções de hormônios femininos e que prometia “regular” a sexualidade, a cura gay vintage. Ele morreu em 54, pouco tempo depois de terminado o tratamentos, acredita-se que cometeu suicídio. A maior parte da vida de Turing havia permanecido em segredo a até pouco tempo atrás, devido as atividades que exercia no serviço secreto

Tecnicamente, até onde meus conhecimentos me permitem julgar, o filme é bem feito: o roteiro foi bem dinâmico e as atuações foram notáveis, principalmente no que diz respeito a Benedict. Porém, ele parece oscilar em vários temas, ora focando na infância do personagem, ora em seu papel durante a guerra, ora na homossexualidade e mas nenhum desses temas fica bem desenvolvido como um todo, fazendo parecer mais como partes fragmentadas do que conectadas a narrativa. De resto, foi um filme muito bom, não teve nada de inovador no sentido de direção, a meu ver, e seguiu um modelo tradicional que agradou a todos, principalmente a academia. Os pontos fortes ficam a cargo da atuação e do conteúdo histórico e da ação inteligente do filme que possuí algumas reviravoltas muito boas.

O Jogo da Imitação também concorre as categorias de:

Melhor Direção – Morten Tyldum

Melhor Ator ( Benedict Cumberbatch)

Melhor Atriz Coadjuvante ( Keira Knightley)

Melhor Roteiro Adaptado

Melhor Trilha Sonora Original

Melhor Design de Produção

A Teoria de Tudo: 

Sou muito fã do Stephen Hwaking por seus trabalhos e principalmente pela história de vida e quando soube que sua biografia seria adaptada para cinema fui a loucura. Fui as lágrimas assistindo ao trailer e mal podia esperar pelo filme, que de certa forma supriu minhas expectativas.

A Teoria de tudo conta com uma adaptação muito bem feita, com uma direção muito boa e cenas simples e carregadas de emoção, além de atuações que foram brilhantes e captaram de forma romântica toda a veracidade dos personagens. Teoria é um filme que pende mais para o lado romântico e sensível ao invés de se enveredar pelo lado mais cru e dramático, assim, cria uma atmosfera leve e delicada mostrando de maneira lenta mas emocionante a transição dos personagens e a evolução da doença e Hwaking e seu desenvolvimento de superação e como físico.

Eu amei o filme, não chorei como no trailer, porque sempre acho os trailers mais emocionantes, mas é belíssimo.

Whiplash – Em busca da perfeição 

Embora não seja uma dos meus mais que favoritos não tem como não falar de whiplash e de seu potencial como ganhador do Oscar. Mais do que no roteiro, ele se destaca por suas atuações que beiram o  impecável e os ângulos e closes das câmeras, que ajudam a dramatizar e aumentar a tensão das cenas. Um dos melhores exemplos da competência do diretor e de seus acertos escolhendo os ângulos certos para cada momento se reflete na cena do solo de bateria, cena está, tão claustrofobia quanto maravilhosa. Quanto as atuações, J.K Simons está nada menos que brilhante ao interpretar o execrável professor de música que utilizada métodos nada ortodoxos e leve seus alunos ao limite físico e psicológico. Milles Teller, também se redimiu comigo, porque só assisti filmes horríveis com ele e esperava menos do que nada como protagonista de Whiplash, porém, o menino soube mergulhar no personagem e mostrou que não está nas telonas a passeio, ponto pra ele.

Whiplash também concorre as categorias de:

Melhor ator coadjuvante ( J.K Simons) 

Melhor Roteiro Adaptado

Melhor Mixagem de Som 

Melhor Edição 

Whiplash faturou dois BAFTAS ( as categorias vencedoras estão em negrito na lista acima) 

Melhor Animação:

O Conto da Princesa Kaguya

Estúdios Ghibli chegam encantando novamente com uma animação totalmente maravilhosa e todos os elogios que possa receber. A história é linda a técnica usada na animação é fantástica e combina perfeitamente com o clima mágico do filme que trás todo o encanto que a cultura japonesa pode oferecer. O Conto da Princesa Kaguya tem seu roteiro adaptado do famoso folclore O Cortador de Bambu, nele Kaguya era um minúsculo bebê quando foi encontrada dentro de um tronco de bambu brilhante. Passado o tempo, ela se transforma em uma bela jovem que passa a ser cobiçada por 5 nobres, dentre eles, o próprio Imperador. Mas nenhum deles é o que ela realmente quer. A moça envia seus pretendentes em tarefas aparentemente impossíveis para tentar evitar o casamento com um estranho que não ama. Mas precisa enfrentas as consequências de suas escolhas.

O filme, como já mencionei, é lindo, como uma poesia triste,e Isao Takahata mostra todo o seu cuidado com essa animação na qual  usa uma técnica belíssima deixando o filme com um efeito de lápis e aquarela, que não é a marca tradicional da Ghibli, mas é tão linda quanto.

Embora a minha torcida seja para Como Treinar Seu Dragão 2, seria mais do que merecido se Kaguya levasse o Oscar.

Melhores Efeitos Visuais:

Interestelar

Quem diria que um filme de ficção cientifica, que de longe não é meu estilo favorito, pudesse me fazer chorar tanto como Interestelar fez. O Filme aborta o tema de esgotamento de recursos naturais do nosso planeta,viagens espaciais, família e tempo de uma forma poética e bem pesada. Os efeitos visuais do filme são de encher os olhos, melhor do que isso só se tivesse sido filmado no espaço de verdade, e possuí um roteiro muito bem amarrado. No quesito atuações ele conta com nomes bem renomados como Matthew McConaughey, vencedor do oscar de melhor ator do ano passado por Clube de Compras Dallas, Anne Hathaway, vencedora do oscar de melhor atriz coadjuvante por Os Miseráveis e a duas vezes nomeada Jessica Chastain, entre muitos outros. Apenas de alguns momentos cliches na trama, principalmente o final, o filme mantem o padrão alto durante praticamente todo o seu andamento e faz emocionar ao mesmo tempo que deixa questões a serem refletidas.

Além desse, também torço muito por Guardiões da Galáxia, que deveria ter ganhado não só uma indicação de melhor maquiagem, como melhor filme também.

Interestelar concorre também a

Melhor Design de Produção

Melhor Mixagem de Som

Melhor Edição de Som

Melhor Trilha Sonora Original.

Interestelar faturou o Bafta de melhores efeitos especiais

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s