Mr Nobody – Resenha

Estou completamente perdida com esses feriados de fim de ano e juro que achei que ontem era sábado, o que fazia de hoje (tecnicamente domingo) dia de post. Mas ok, sem pânico,  temos post novinho saindo do forno ( com atraso, mas ainda sim saindo). Hoje venho falar sobre um filme incrível que assisti no feriado, não me perguntem qual dia, pois, desde que descobri que ontem era domingo e não sábado e que desde quinta (natal) eu estive, na verdade, vagando pelo espaço tempo continuo sem nenhuma referência de dia da semana (foi coisa da Matrix, tenho certeza) que o feriado acabou se tornando uma coisa  só. Mas o importante, é que assisti a esse filme maravilhoso chamado Mr Nobody  e ele é uma coisa fantástica. A primeira vez que havia ouvido falar dele foi quando estava ouvindo esta musica do Bryan John Appley e me deparei com esse video:

No incio, achei que era um clipe porque as imagens captavam tão bem a atmosfera da música que era quase impossível que não tivessem sido feitos um para o outro, mas depois, lendo a descrição do vídeo, acabei descobrindo que se tratava de um filme o qual Jared Leto havia atuado.  Como admiro muito o Leto, não só por suas músicas mas também por acha-lo um ator espetacular, mais que imediatamente me pus a procurar mais sobre o filme e só encontrei opiniões boas sobre ele. Então, quando a oporturidade e o tempo surgiram, não havia mais desculpas para não ir assistir.

Logo nos primeiros minutos, apesar de ter visto muitas aclamações, eu o achei confuso e um ponto de interrogação gigante apareceu no meio da minha testa. Não estava sentindo boas vibrações, a história estava sem pé nem cabeça  e quase fiquei indignada  por ter sido praticamente induzida a esperar tanto de um filme que na verdade era uma grande porcaria. Porém, mesmo com todos  os sinais me dizendo para parar ali mesmo e que eu não aguentaria duas horas daquela doideira, eu persisti. E  não me arrependo nenhum pouco.

A medida que o filme avança, e não demora tanto assim, você entende o caminho que ele vai seguir, ou pelo menos a ideia geral de que ele quer nos passar, e toda a sua confusão se torna simples e incrivelmente clara com apenas uma frase de uma cena:

“Enquanto você não escolhe, tudo se torna possível”

A partir  deste momento é que entendemos sobre o que se trata  Mr Nobody: Escolhas. É um filme sobre possibilidades, sobre o que foi ou poderia ter sido e sobre o que não foi mas ainda sim poderia ter sido. Vemos como cada decisão conduz o personagem a um destino diferente e também vemos como cada um desses destinos teria sido caso ele tomasse o caminho oposto. E eu, particularmente, adoro esses filmes que mexem com linhas dos tempo e mostram o outro lado de uma mesma moeda   ao mesmo tempo que nos fazem questionar os “e se” da vida.

E embora  tenha ficado um tempão nessa linha, pensando em como organizar as palavras e as ideias, acho que eu não consigo fazer uma sinopse digna ou mesmo um resumo descente, tamanha a genialidade que é o roteiro desse filme. Então deixo apenas minhas impressões sobre essa obra de arte fantasticamente confusa e emaranhada que é Mr Nobody. Um filme com efeitos lindos, uma abordagem delicada e com atuações incríveis que trata sobre um tema que é comum a todos nós: nossos destinos e como o construímos.

Espero que tenham gostado desse resenha-não-resenha. Já conheciam o filme? O que acharam? deixem suas opiniões sobre o ele, eu adoraria lê-las.

Um beijão da garota da vitrine

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s